Virar a página – capítulo primeiro

Terminar o que começamos é terrivelmente difícil. Basta alguns segundos de pensamentos pra lembrarmos todo o esforço que envolveu para terminar aquela última série de abdominais ou aquele último 1km na corrida, pare e pense também naquele livro chato e extenso que o professor disse que vai cair na prova de psicologia ou também na nossa luta diária pra vencer o sono durante a faculdade ou levantar da cama às 6h30m e termine seus pensamentos relembrando quantas vezes foi necessário engolir aquele sapo no trabalho.

É muito difícil dar um ultimato, e envolve atitude (coisa que tenho pouco). É complicado assumir pra si mesmo e para o mundo que aquela vida não dá mais, que aquele relacionamento desgastante não te faz mais feliz, que aquele trabalho está cobrando mais de você do que oferecendo. Requer muita decisão na hora de colocar um ponto final em qualquer situação e terminar uma história.

“Vire a página. Dê um ponto final nas coisas que te fazem mal. A vida é um círculo, não um quadrado. Tenha pressa de ser feliz, por que nós não sabemos quanto tempo nos resta” ― Padre Fábio de Melo.

Às vezes precisamos colocar um ponto final onde nunca teve pontuação, seja na vida pessoal, amorosa ou profissional, tem hora que é preciso agir. Confesso que estou com muitos planos pra 2017 – alguns eu já até comecei, como a pós graduação. Pra mim é um grande desafio, levando-se em consideração que é em outra cidade e envolve vencer alguns medos – como dirigir na estrada – outros eu ainda não posso dizer, mas são relacionados a realização de sonhos.

Em breve, eu conto, mas aviso de antemão, grandes coisas estão por vir.

Este capítulo fica por aqui.

Comente

Comentários

Uma designer mineira, 26 anos, podem me chamar de Mica. Luto contra eu mesma todos os dias. Às vezes ganho, às vezes perco… mas não desisto. Esperem de mim um bocado de textos sobre arte, flores, fé, receitas de bolo, amores e mimimi.