Socorro! Todos os meus amigos estão se casando, e eu?

Leia ao som de:

Sabe quando você é criança e planeja toda a sua vida? Encontra respostas pra qual idade a gente vai se formar, qual faculdade vamos fazer, onde vamos trabalhar, como será a nossa casa, com quantos anos vamos nos casar… Eu sempre gostei muito de planejar, sempre tive uma rotina seguida a risca e sempre corri atrás das poucas as quais tinha certeza que eu queria. Quem nunca teve aquele professor que pedia pra gente traçar uma linha do tempo e responder aquela típica pergunta – que é usada até hoje em muitas entrevistas de emprego – como você se vê daqui 5 anos?

A verdade é que eu, quando criança, elaborava sonhos e planos e agora no auge dos meus 25, olho pra trás e vejo que nada – quase nada – aconteceu conforme eu esperava. E aí eu me pergunto, aquele professor pedia pra gente fazer todos aqueles planos pra quê? Só pra fazer com a gente se frustre na vida adulta, ou simplesmente pra mostrar como não temos o controle de nada na nossa vida?

Confesso que demorei um pouco pra perceber qual carreira eu queria seguir… Contando brevemente, quando eu estava no 1º ano do Ensino Médio eu decidi que queria ser jornalista, mas aí, eu terminei o 3º e não passei em jornalismo, foi aí que – entre idas e vindas – fui fazer publicidade – que era a segunda opção no vestibular – mas até então eu não sabia nem o que que esse curso ensinava hahahaha. Enfim, fiz o curso  de 4 anos querendo parar e prestando Enem todos os anos pra ver se passava em jornalismo – fazia cursinho pré-vest de tarde e faculdade à noite. No dia do Enem, fazia bem as provas mas NUNCA conseguia nota suficiente pro jornal… Assim foram os 4 anos… até que me formei. Após alguns anos de desemprego, consegui uma oportunidade em um jornal. Foi incrível, parecia que finalmente eu seria jornalista de saia. Comecei a trabalhar na área, e gente, não me encaixei. Comecei a ver que eu não tinha nascido pra isso. Devido a minha infelicidade no cargo e a provável falta de talento rs, me transferiram para o departamento de criação. Sim, comecei a trabalhar com aquilo que eu havia estudado 4 anos pra ser. E eu amei. Pois é, só 4 anos depois de me formar que parei de “ciscar” em outras áreas e encontrei um caminho a seguir.

Bom, eu contei isso tudo porque carreira é uma das coisas que mais aflige as pessoas, e eu tive que aprender na sofrência que planejar demais muitas das vezes não é o caminho. Mas então, continuando os pensamentos, quanto ao profissional, agora que me encontrei fica mais fácil descobrir qual caminho seguir ao longo da vida. Nos estudos, eu tô feliz também, ingressei agora na pós e acho que tem tudo pra dar certo. Defini nos últimos meses quais são meus maiores medos e tô enfrentando sabe – ou pelo menos tentando.

O negócio é que vamos falar de amor. Quando eu tinha 8 anos e brincava lá na “Sementinha” (nome da escolinha hahaha) de falar sobre o futuro eu sempre respondia que eu queria me casar com 23 anos. Se tudo tivesse ocorrido como eu pensei eu já estaria quase fazendo bodas de trigo rs.

Onde eu quero chegar com toda essa reflexão? Meu irmão pediu a namorada dele em casamento hoje de manhã e isso mexeu muito comigo e me fez querer escrever sobre isso. Não podemos viver comparando a nossa vida com a de outras pessoas, porque cada um tem seu tempo.

Eu tô vivendo, eu tô curtindo, fortalecendo as amizades e buscando fazer coisas que não poderei – ou ao menos ficará mais difícil – fazer quando estiver casada. Esse ano fui madrinha de casamento da minha amiga de infância – ‘oooorra, até esses dias a gente brincava de boneca, e agora ela tá casada :O’ – em breve será meu irmão – mais novo – que estará juntando as escovas. Será que eles estão se casando rápido demais ou que tô vacilando e perdendo tempo? hahaha o que me dá um pouco de pânico é pensar no próximo item da minha lista. A questão filhos. Na mesma época, na doce aurora dos meus 8 anos, eu falava que queria ter 5 filhos – hoje já não acredito que Deus vá me conceder esta benção – até porque talvez eu esteja ficando velha demais pra isso.

Calma amigos, não precisam se desesperar me enviando mensagens de consolo, porque eu não estou desesperada demais e nem pensando que vou ficar pra ‘titia’ hahaha. Eu penso que meus amigos não estão se casando rápido demais e nem que eu esteja vacilando, só acho que eles encontraram a pessoa certa e que estão em condições – emocionais e financeiras – de assumirem tal responsabilidade. Eu não ligo com as expectativas das pessoas mais velhas me perguntando: e os namoradinhos?

Pra terminar, eu tô bem gente. Tô vivendo os meus dias como se não houvesse amanhã. Tô investindo em leituras, estudos, esportes e amizades, tudo acompanhado de muita família, comida boa e música – muita música. Se meus amigos querem se casar, que se casem! Estarei feliz ao lado deles comemorando e não me sentindo inferior ou me vitimizando de ‘ah sou a última, Deus me esqueceu’. Todos os meus amigos estão se casando? Que demais, me convidem pra sair e comemorar! Mas comigo, isso não vai acontecer tão cedo.

Mas tamo aí na atividade esperando em Deus – porque Ele é capaz de fazer infinitamente mais do que sou capaz de imaginar (Efésios 3:20). Por mais que eu possa atrasar a minha linha do tempo planejada láááá em 1998, um dia eu cumpro tudo, inclusive saltar de asa-delta.

Comente

Comentários

Uma designer mineira, 26 anos, podem me chamar de Mica. Luto contra eu mesma todos os dias. Às vezes ganho, às vezes perco… mas não desisto. Esperem de mim um bocado de textos sobre arte, flores, fé, receitas de bolo, amores e mimimi.