Ainda bem que você saiu da minha vida

Leia ao som de:

Ontem me dei conta de que você finalmente não exerce influência sobre a minha vida mais. Hoje quando acordei não me lembrei de você.. Na verdade, só me lembrei de você agora, às 17h46m, fiquei tão feliz que até me deu vontade de escrever. Me deu vontade de escrever, porque eu sei que você vai ler. (E não adianta fingir que não sabe que eu estou falando com você, porque eu sei, você está lendo esse texto).

Vamos começar então com um agradecimento: obrigada por ter saído da minha vida.

Eu me envolvi tanto com você e amei cada detalhe do teu corpo e entreguei cada segundo do meu tempo e dos meus pensamentos que acabei me perdendo ao longo do caminho. Cheguei num ponto em que eu não sabia onde mais eu queria chegar. Justo eu, que sempre fui tão organizada.

E agora, eu tenho tanto pra falar que meus dedos estão digitando como malucos, desesperados e saidn atpoe um monte d cois errada. Meus pensamentos estão enlouquecidos querendo sair para fora GRITADOS (que o excesso de palavras me permita o pleunasmo). Dá vontade até de te encontrar, sabia? Sentar num café ou num banco de praça e conversar sobre nós dois. Tenho tanto o que falar.

Eu amei tanto você que nunca enxerguei que meu amor não era suficiente, afinal, esse lance de relacionamento precisa ser recíproco né? Mas eu nunca me dei conta. Queria viver tudo tão absurdamente intensamente e rápido que queria morar junto, ter filhos, me casar com você. Foi uma explosão tão grande de emoções que não me dei conta de que o meu amor não era suficiente pra nós dois. E isso não existe.

Olha, não foi nada fácil me convencer do fato de que estava tudo acabado. Não foi fácil te deixar ir embora. Doeu pra caramba. Mas passou, entende? Cicatrizou.

No meio de tanta intensidade nos primeiros anos, a gente se afastou, não sei o que aconteceu, foi duro admitir que não era você o tal “cara certo”. E eu demorei muito pra enxergar.

Mas foi tudo aprendizado. De tudo o que vivemos juntos, eu só tenho um arrependimento: não ter saído da sua vida há uns 2 anos atrás. Não é uma questão de orgulho e amor próprio não… é somente uma questão de olhar pra trás e ver a minha falta de atitude perante algo que já estava fadado ao fracasso há muito tempo. Mas tá bom, poderia ter sido muito pior, porque pelo menos você tomou uma atitude e fez alguma coisa, porque se não fosse assim estaríamos *quem sabe* atrapalhando a vida um do outro até agora.

Enfim, pra quem já é meio maluquinha como eu, tudo o que eu não preciso é de uma vida tão cheia de desordem como a sua. É, chega de bagunça, agora eu tô afim de colocar as coisas no lugar, como tenho feito. Obrigada por tudo. Tudo mesmo. Eu cresci muito nesse nosso tempo juntos.

Obrigada por me fazer enxergar que eu precisava de alguém melhor ao meu lado. Essa é a última vez que escrevo sobre você. Essa é a última vez que me permito pensar em você por mais de 30 segundos diretos. Essa é a última vez que você aparece aqui no blog, depois de tantos poemas com o seu nome.

Primos e parentes, agora eu entendi tudo o que vocês me diziam.

assinatura mica

Comente

Comentários

Uma designer mineira, 26 anos, podem me chamar de Mica. Luto contra eu mesma todos os dias. Às vezes ganho, às vezes perco… mas não desisto. Esperem de mim um bocado de textos sobre arte, flores, fé, receitas de bolo, amores e mimimi.

About the author

Micaela Garcia

Uma designer mineira, 26 anos, podem me chamar de Mica. Luto contra eu mesma todos os dias. Às vezes ganho, às vezes perco… mas não desisto. Esperem de mim um bocado de textos sobre arte, flores, fé, receitas de bolo, amores e mimimi.

View all posts